quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Seixal entrega 5 mil livros no regresso às aulas

A Câmara Municipal do Seixal prevê entregar cerca de 5000 manuais escolares no início do ano lectivo 2010/2011. Substituindo-se ao Estado central, a quem compete criar as condições para que o acesso à educação seja, de facto, universal e gratuita a Câmara Municipal do Seixal (assim como a de Serpa e da Vidigueira, por exemplo) garante deste modo que grande parte dos alunos do concelho terão acesso aos manuais essenciais ao seu sucesso escolar.

8 comentários:

Cândido Soares disse...

Sem dúvida que é uma prova, evidente, da forma como se desenvolve a acção dos eleitos da CDU.

Sempre com o povo, em nome do povo, pelo povo.

É uma marca distintiva, sem paralelo, que define a acção e prática dos eleitos desta coligação.

Em nome pessoal, que certamente irei beneficiar desta medida, os meus sinceros agradecimentos.

Sopro leve disse...

Mais um exemplo de quem muito faz, com tão pouco...
Isto só acontece, mesmo que os vendedores da cobra tentem passar o oposto, porque os eleitos da CDU assumem os cargos para servirem a população, e não para servirem-se do cargo.
Mas, infelizmente, existe muita gente que em vez de reflectirem na realidade, e porque os partidos que defendem (mesmo não sabendo porque, ou simplesmente porque é da moda), têm atitudes contra o bem estar e contra os direitos da população que não conseguem ser escamotiadas, e para não assumirem que durante anos andaram a reboque desses mesmos partidos, fazendo parte da carneirada, proclamam ao sabor do vento, que os politicos e autarquas são todos iguais...
Mas não, os eleitos da CDU são diferentes... A difereniça está na consciência...

Anónimo disse...

Paulo estás sempre atento e no "naoseinao" mostraste a diferença.

Anónimo disse...

Carta Aberta aos srs. Vereadores do PS na CMS

Tiveram os srs. drs., mais uma vez, ao arrepio da legislação portuguesa - usando o sistema informático da Câmara Municipal e os endereços electrónicos dos funcionários desta casa – e talvez a partir de um qualquer dos prodigiosos “Magalhães” , a ousadia de tentar com o veneno que vos enche a boca, envenenar as relações de trabalho que envolve os eleitos com a legitimidade expressa através do voto recente e os funcionários nos quais se incluem, provavelmente, muitos eleitores do PS bem como de outras opções políticas.

Sem me perder no labirinto do vosso raciocínio intolerante, faccioso e hipócrita, na apreciação que fazem a uma obra sem paralelo, pensada, projectada por técnicos municipais, executada por trabalhadores qualificados e honrados que deram o melhor que de si têm, e realizada para servir qualificadamente melhor os seus cidadãos - porque convosco é simplesmente perder tempo - quero abordar apenas um aspecto da vossa tentativa, por certo falhada, de minar, não só as excelentes relações que envolvem os trabalhadores e os eleitos, como também de untuosamente denegrir a imagem, prestigio e respeito que nos merecem todos aqueles que lutam diariamente, não temem nem vergam, perante disfarçados descendentes dos algozes de triste memória, que durante longos anos atormentaram, injustificadamente e sem razão o povo português.

Pois meus caros srs. drs. Vereadores do PS, ao contrário do que dizem, os trabalhadores, não só têm o direito de fazer greves, como também o dever de nelas participar activamente, porque razões e motivos de sobra não faltam e estão aos olhos de todos quantos querem ver.

Sabem, srs. drs., os trabalhadores, em particular e no caso os funcionários públicos deste país, têm a barriga vazia bem como todos os que deles dependem, bem ao contrário dos srs. que pelos vistos a têm cheia. Estes funcionários, são do PS, do PCP, do PSD, do CDS/PP, do Bloco e sem dúvida de outros partidos com maior ou menor representação na sociedade portuguesa.

Estes funcionários, militantes activos ou menos activos na procura de melhores condições de vida para si, para os seus, e por consequência para todos os cidadãos, têm memória, não esquecem e mantêm viva a chama que alimenta a luta de todos os dias contra as políticas que o vosso partido, o PS e o PSD, sozinhos ou coligados com o CDS/PP desenvolvem há mais de 30 anos em Portugal.

Anónimo disse...

Razões e motivos meus caros srs. para exercer um direito e executar um dever de fazer greve no dia 20, residem na precariedade do emprego, na falta de emprego para centenas de milhar de trabalhadores deste País;

Razões e motivos meus caros srs. para exercer um direito e executar um dever de fazer greve no dia 20, estão nas vossas continuadas políticas de ataque aos nossos direitos no ensino, na educação e na Saúde;

Razões e motivos meus caros srs. para exercer um direito e executar um dever de fazer greve no dia 20, estão nas mitigadas pensões – de miséria e humilhantes - que os nossos aposentados e reformados recebem como “compensação” de uma longa vida de trabalho que pretendia apenas, contribuir para o engrandecimento do País;

Razões e motivos meus caros srs. para exercer um direito e executar um dever de fazer greve no dia 20, estão na provocação que vocês, srs. drs. nos fazem, diariamente, com as vossas insinuações e torpe manhosice;

Razões e motivos meus caros srs. para exercer um direito e executar um dever de fazer greve no dia 20, residem na urgência e imperiosa necessidade de correr com os outros srs. drs. deste governo do PS, bem como dos outros anteriores do PS, do PSD, sozinhos ou acompanhados com o CDS/PP;

Razões e motivos meus caros srs. – finalmente, porque a carta já vai longe - para exercer um direito e executar um dever de fazer greve no dia 20, é no mesmo pacote e mesma oportunidade, correr também com os srs. drs. vereadores do PS na CMS, que nos ofendem diariamente, com a sua presença e linguagem nesta Câmara, neste Município de Abril.

Por isso, meus srs. drs., razões e motivos para encarar as greves como um direito mas acima de tudo como um dever, só pecam por defeito.

No dia 20, os trabalhadores das autarquias deste País darão, sem dúvida, prova deste entendimento da vida, da luta sem tréguas que urge intensificar contra vocês srs. drs. do PS e quejandos.

Leal Neto disse...

…E pronto! Fez-se a greve nas autarquias em todo o País e também… no Seixal com mais de 99,00%.
Meu caro sr. dr. lic. Samuel, este assunto… da greve, está claro, foi o tema de conversa, ao final da tarde (agora quase noitinha), lá na tasca do Ti Luís.
E olhe que o sr. dr. lic. Samuel foi lá falado. Sabe, depois do “conhecimento” público da sua “carta aberta”, (isto está mesmo muito engraçado) houve alguém que quis apostar que trabalhadores, trabalhadores a furar a greve depois do seu “veemente” apelo não seriam mais de 20, qualquer coisa como cerca de 1%, lá na Câmara. E sabe?
O homem ganhou! Mas ficou triste porque não houve - segundo o que se ouve por ai – qualquer intimidação. E isto apesar do sr. dr. lic. Samuel e mais o sr. dr. lic. Gil terem-se esforçado e aparecido para “encorajar” e elevar ao estatuto de “heróis”, os três ou quatro funcionários que hoje, não tendo mais nada que fazer… na vida, foram… trabalhar para o novíssimo edifício da Câmara. Sem dúvida que foram “heróis” por um dia, está claro… de greve. Quiseram experimentar a sensação de “trabalhar” na Câmara. Devem ser seus amigos, porque o sr. dr. lic. Samuel também é um caso, e tanto de herói extraordinário. Lindo!
Mas…, esteja lá sossegado um bocadinho sr. dr. também lic. HSerejo. Não fique com ciúmes, o sr. dr. lic. HSerejo, tem um “lugarzito” aqui no coração do trolha Leal Neto. Mas agora como compreenderá, depois da sua tão prolongada ausência, sem nada saber de si, acabei por começar uma nova e espero, “duradoira relação” com o seu mais que amigo sr. dr. também lic. Samuel. Portanto deixe-me continuar, esta conversa com o seu muito amigo.
Pois como ia a dizer, desculpe lá o paragrafo anterior, afinal parece que o homem - o da carta aberta aos srs. drs. lics. Vereadores do PS na Câmara – tinha razão, quando ele dizia que, fazer a greve, mais do que um direito era um dever. E não é que tinha razão? E que dever tão largamente assumido, mais de 99%. É obra, sim senhor.
Sei o que está a pensar, sr. dr. lic. Samuel. “Devem ser todos malandros”! E logo depois do sr. dr. lic. Samuel e os outros srs. drs. lics. Vereadores do PS, se terem “esforçado” e envolvido tanto, no apelo ao trabalho pela nação, desculpe, queria dizer por Socrates. Que “cambada” de calões. Trabalhadores, como devem ser, foram os 10 ou 12 que não tendo nada que fazer… foram trabalhar para a Câmara. Esses sim, são grandes trabalhadores e heróis por terem desafiado os STAL’s . Devem ser do PS do Socrates, corajosos, e acima de tudo… mais que tudo, seus amigos também, que é amigo do sr. dr. eng. da fantástica faculdade “Independente”.
Olhe sr. dr. lic. Samuel, o sr. dr. lic. pode não acreditar, mas… eu acho muito bonito ter “tantos”amigos assim. Bem dividido, como deve ser, deve dar… mais ou menos…, quatro “heróis” para cada um dos srs. drs. lics. veradores do PS na Câmara Municipal.
São tantos. Tantos que, veja lá, tiveram de chamar a manutenção dos elevadores porque, não davam despacho a… “tanta gente” que, heroicamente, queriam trabalhar nem que fosse por um dia, em homenagem ao “esforço” dos srs. drs. lics. veradores do PS na Câmara Municipal.
Como dizia um amigo meu lá na tasca do Ti Luis,
Vai lá vai, até a barraca abana!

Leal Neto disse...

O comentário que se segue foi eliminado pelo A-Sul, às 10,48 e 10,49PM de 23.09.10.

Olá pessoal. Já cheguei a casa, depois de um dia extenuante a encher "placas", já jantei, e agora aqui estou à vossa disposição.
Lendo e "apreciando" o post e "comentários", a primeira coisa que me vem à cabeça, é: o que há de novo?
Esmiuçando e começando pelo post:
O autor da "carta" tem tanto de real, de sentido e coerência, como a notícia de hoje que nos "dizia" que o sr. 1º ministro afirmou que Portugal vai sair da crise, porque os srs. do grande capital decidiram abdicar das suas fortunas, salvando a economia e poupando os pobres portugueses ao sacrifício do PEC.
Passando aos comentários,
O trolha Leal Neto, trabalha mesmo e gosta de descansar para retemperar forças para o dia seguinte, ao contrário de ti que, pelos vistos, ainda não te deitaste porque não deves fazer mais nada do que comentar em blog's, não é "anónimo" das 6,10?
Passando à frente... temos o trolha alfacinha, a chamar camelo ao anterior comentador e não dizer nada, excepto que Lisboa é um paraíso que pode rivalizar com... o Sahara.
Continuando, o ex-militante do costume, o "personagem" criado pelo pontinho para dar a "ideia" de que já houve comunistas que "bateram" a porta e que não concordam com as "políticas" do "Alfredo".
E chegamos ao Anti A-sul, a versão pontinho para "chatear" o pontinho verde, que se "esqueceu" que ontem escreveu: “Adeus ponto verde. Tem cuidado pois como prometido, acabaram as palavras.” Que cómico me saíste pontinho verde.
Claro que, dois minutos depois, o “pontinho” do a-sul, insurge-se contra o “pontinho” do anti a-sul e toma lá, “passarona”!
Passando à frente, a citação do “amigo emalmada” que nos revela que aquilo que em Lisboa é uma virtude, em Almada é um “atentado” de lesa almadense. Lindo, “querido ponto”.
A seguir o “abaixo assinado” mete medo! Grande nóia, sim senhor.
Finalmente, a peça de oiro da coroa, o “pontinho” pink bird para a cena da trapaça a tentar “iludir” alguém que voltou agora de férias e não viu os últimos “episódios” da saga “A-Sul a caminho da ETAR de Fernão Ferro”.
Mas eis que, seis minutos depois, o “pontinho” vestindo-se à pressa de anónimo – que gozo – e encarnando o papel de criada de bordel, sugere vaselina à passarona, ciente talvez pela experiência, que a dita, cura todos os males da fornicação apressada ou de tão velha, enferrujada.
Ah, a transcrição da “queixa” dos digníssimos vereadores do PS, que foram “expulsos” do seu gabinete que antes abominavam como senhoras invejosas.
Para terminar, por aqui, o incansável “pontinho” para estimular o extraordinário “debate” do dia não se coíbe, nem se cansa de continuar a apanhar… canas.
Vês, meu caro, aqui tens o brilhante saldo do teu “extenuante” dia.
Agora, vou dormir. Voltarei amanhã para apurar o saldo de mais um dia do teu “exigente” trabalho.

J.S. Teixeira disse...

Verador do PS, Samuel Cruz, demonstra o seu facciosismo neo-fascista, apelando contra um dos principais direitos conseguidos através da luta dos trabalhadores e do 25 de Abril.

Saibam mais no blogue O Flamingo.

Tenho dito.